Quando uma alta tensão, cerca de 30 KV é aplicada a um capacitor com eletrodos de dimensões diferentes, uma força atua sobre o capacitor na direção do menor eletrodo (efeito Biefeld-Brown). Este efeito pode ser verificado em capacitores de diferentes formas, mas sempre a força aparece na mesma direção, do eletrodo maior, carregado negativamente, para o menor carregado positivamente.

Este efeito desperta a curiosidade para a pesquisa de novas formas de propulsão, onde o "motor" não teria partes móveis, e pelo menos em teoria, existe potencial para que seja mas eficiente que os métodos atuais de propulsão.

Este efeito foi primeiramente verificado por Thomas Townsend Brown, em 1928, e o primeiro dispositivo baseado neste efeito foi patenteado por ele mesmo em 1960. No entanto até hoje, a não se chegou a nenhuma explicação física que desse conta do efeito. As suspeitas são de que a força que aparece no capacitor pode resultar de dois mecanismos de condução de cargas entre os eletrodos: vento iônico e tração iônica. Os cálculos indicam que a força do vento iônico é de magnitude 3 vezes menor do que a força observada nos capacitores. O transporte por tração iônica leva a uma força de magnitude igual a observada nas experiências, mas é difícil entender como isto funciona na teoria.