UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC
CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - CED
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO - CIN
Professora Ursula Blattmann E-mail: ursula@ced.ufsc.br

Pesquisa Bibliográfica - 1. Semestre de 2003

Aula 1 Comunicação científica

Apresentação da turma.

Entrega do plano de ensino (http://www.ced.ufsc.br/~ursula/5100) e a proposta dos trabalhos.

Nivelamento da turma: sobre a pesquisa científica e o manuseio dos recursos bibliográficos na realização de pesquisas científicas.
 

Exercício: Dissertação sobre a importância do planejamento de estudos na vida acadêmica.

Referências bibliográficas:

SOUZA, F.C. de. Escrevendo e normalizando trabalhos acadêmicos: um guia metodológico. Florianópolis : Ed. da UFSC, 1997.

Aula 2 Estudo das Fontes de informação: fontes primárias, secundárias e terciárias

Exercício extra-classe: visita técnica na BU/UFSC: identificar fontes e editoras, recuperação da informação em catálogos e abstracts.

Seleção de textos: Severino; Souza. Capítulo 3 (páginas 17 - 29)  : as fontes de informação existentes na universidade
 
 

Referências bibliográficas:

DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo : Atlas, 2000.

HEIDE, Ann, STILBORNE, Linda. Guia do professor para a Internet: completo e fácil. Trad. Edson Furmankiewz. Porto Alegra : Artes Médicas Sul, 2000.

ENGEL, Stefan; WOITZIK, Andreas. Die Diplomarbeit. Stuttgart : Schäffer-Poeschel, 1997.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.

NORTHLEDGE, Andrew. Técnicas para estudar com sucesso. Trad. Susana Maria Fontes e Arlene Dias Rodrigues. Florianópolis : Ed. UFSC : The Open University, 1998.

RUIZ, J. A . Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1993.

SALOMON, D.V. Como fazer uma monografia. 3.ed. São Paulo : Martins Fontes, 1995.
 

Aula 3 A importância da leitura e interpretação de textos técnicos e científicos

Objetivos dessa aula: Conceitos sobre metodologia científica, pesquisa, e sua importância na vida acadêmica.
 

Indicação da leitura do texto de Barros & Lehfeld (2000, p. 2-7) e esquemas:
 

                                                               /  Processos  |     conhecer   - agir
ciência - metodologia - métodos                                >  e intervir na
                                                               \  Técnicas    |      realidade
 
 
Ciência Forma especial de conhecimento da realidade empírica. 
É um conhecimento racional, metódico e sistemático, capaz de ser submetido à verificação. 
Busca o conhecimento sistemático do universo. Não é produto de um processo meramente técnico, mas do espírito humano.
Metodologia Estuda 
Descreve ------------> Os métodos 
Explica 
Interpreta 
Compreende 
Avalia
Método Forma ordenada de proceder ao longo de um caminho. 
Conjunto de processos ou fases empregadas na investigaçào, na busca do conhecimento.

 

1 O ciclo da informação na pesquisa

Indicação da leitura do texto de Barros & Lehfeld (2000, p. 5-7) e esquemas:

Estudante  -----> Profissional pesquisador  -------> Investigação = BUSCA DE CONHECIMENTOS  = Ato de estudar
                                                                                  \                                                                                              /
                                                                             Processo científico
 

Reflexões em grupo

Definir o que é estudar?  (Com base na leitura do texto de Barros & Lehfeld (2000, p. 16-22) e Northedge (1998) Capítulos1-3.

Como cada estudante estuda?

Qual a vantagem do trabalho metódico?

Requisitos, observando na leitura do texto de Barros & Lehfeld (2000, p. 6) que o estudante necessita culticar (criar hábitos):
 

  1. "possuir capacidade de apreensão e de ensaio crítico;
  2. dominar o objeto ou construí-lo;
  3. conhecer pela metodologia da pesquisa;
  4. aperfeiçoar o conhecimento, pela formaçào e informaçào técnico-científica;
  5. criar a partir de um conhecimento obtido;
  6. participar na busca, na aplicação e na socialização dos conhecimentos obtidos."

Referências bibliográficas:

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000.
 

2 Os canais da comunicação científica: formais e informais

Segundo Zen (1989, p. 34), as fontes de informação podem ser divididas em três tipos: Utilizando a definição formulada por Zen (1989, p. 36), pode-se dizer que a transferência de conhecimento científico e tecnológico envolve todos os meios existentes, sejam os documentos impressos, eletrônicos, digitais e virtuais, as informações verbais, ou não, formais e informais. Esses meios são denominados canais, que, de certa forma, são as próprias fontes de onde provêm a informação.

Com intuito de caracterizar os canais de informação, baseando-se na literatura existente e na experiência profissional, elaborou-se o quadro abaixo, visando facilitar a discriminação desses elementos.

 
Quadro 1: Canais de informação 
Canais formais  Canais semi-formais  Canais informais
Artigos de periódicos, teses e dissertações, manuais, livro-texto, normas técnicas, revisões, trabalhos de congressos, abstracts, índices e bibliografias, meios audivisuais.  A Relatórios técnico-científicos não publicados, catálogos de fornecedores, manuscritos e periódicos comerciais.  Discussões pessoais, chamadas telefônicas, correspondência privada, seja tradicional ou eletrônica, encontros e seminários, visitas inter-institucionais e reuniões científicas.
Christovão (1979, p. 4-5) menciona que a "comunicação informal vem sendo foco de maior atenção por parte de toda a comunidade científica. (...) As informações veiculadas pelo sistema informal se caracterizam, ainda, por maior rapidez e redundância." E gradativamente as informações oriundas de canais informais convertem-se nos canais formais.

Christovão (1979, p. 6) considera que, para "divulgar suas pesquisas, os cientistas também não escolhem de imediato algo já convencional como o periódico científico. A cada dia tornam-se mais numerosas as pré-edições (pre-prints) e as comunicações a congressos, que podem vir a ser editadas ou não, e que geralmente contêm resultados parciais de pesquisas em andamento. (...) O cientista mantém sempre sua atenção voltada para esses sistemas - formal e informal - pois são os canais de comunicação a ele pertinente, os meios que utiliza não só para divulgar os resultados da sua pesquisa, como também para obter a informação que necessita."

As vantagens das fontes informais podem ser destacadas como:

Araújo (1979, p. 80) enfatiza que o processamento da informação é a essência da atividade científica." E os cientistas têm dificuldades em manter-se atualizados com o estado-da-arte, principalmente com o crescimento exponencial das publicações nas diversas áreas do conhecimento, devendo haver meios mais seletivos da informação.

Certamente, pelo uso da Internet, mais especificamente através dos recursos de correio eletrônico e discussão temática em grupo, há facilidade na comunicação informal entre os pesquisadores nas diversas áreas de ciência e tecnologia. "E quando se pensa que os canais informais são fundamentais para se trabalhar em níveis de maior valor agregado à informação, porque são úteis na tomada de decisão e possibilitam a criação de estratégias a partir de informações ainda não publicadas, pode-se ter idéia do valor comunicacional da rede. Por outro lado, bases de dados e documentos publicados estão disponíveis através de serviços de compartilhamento ou de transferência de arquivos, caracterizando-se como canais formais de comunicação da informação" (Araújo & Freire, 1996, 53).

Portanto, conhecer o fluxo dos canais de comunicação da informação tradicionais e online facilita entender a qual recurso recorrer para atendar às diferentes demandas informacionais de cada pesquisador.

Tendo em vista este cenário, as próximas aulas estarão centradas no uso das tecnologias da informação, principalmente o uso da Internet como fonte de apoio na pesquisa.
 

Referências bibliográficas:

ARAÚJO, Vânia Maria R. Hermes; FREIRE, Isa Maria. A rede Internet como canal de comunicação, na perspectiva da Ciência da Informação. Transinformação, v.8, n.2, p. 45-55, maio/ago. 1996.

CHRISTOVÃO, Heloisa tardim. Da comunicação informal à comunicação formal: identificação da frente de pesquisa através de filtros de qualidade. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v.8, n. 1, p. 3-36, 1979

RUIZ, J. A . Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1993.

ZEN, Ana Maria Dalla. Canais, fontes e uso da informação científica: uma abordagem teórica. Rev. Bibliotecon. & Comun., Porto Alegre, v. 4, p. 29-41, jan./dez.1989.
 

Aula 4 Pesquisa na Internet: histórico, infra-estrutura da rede de computadores, ética e privacidade, comércio eletrônico,

Exercícios extra-classe Consultar e identificar cada lição do Curso Internet para bibliotecários - URL http://www.ced.ufsc.br/bibliote/snbu/

Objetivos:  Internet e seus recursos: FTP, e-mail, WWW, listas de discussão, recuperação de dados, como localizar pessoas, pesquisa em bancos de dados online, acesso aos catálogos remotos, provedores de acesso e de conteúdo, acesso a Internet, conexões internacionais.

Exercícios: recuperação da informação online - mecanismos de busca Recuperação da informação: catálogos de bibliotecas e informação online.

Veja a diferença ao pesquisar utilizando o Google www.google.com.br  e o TodoBR www.todobr.com.br
Lembre de delimitar a terminologia utilizada.
Como salvar os endereços obtidos.
E na seleção do material, aplique os critérios de avaliação de documentos de hipermídia (tipo do documento, origem).

Referências bibliográficas:

BLATTMANN, Ursula, FACHIN, Gleisy R. B, RADOS, Gregório J.V. Recuperar a informação eletrônica pela Internet. Revista da ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v.4, n.1, 1999. (18. Painel de Biblioteconomia em Santa Catarina) URL: http://www.ced.ufsc.br/~ursula/papers/buscanet.html

BLATTMANN, Ursula, TRISTÃO, Ana Maria Delazari. Internet como instrumento de pesquisa técnico-científica na engenharia civil. Revista da ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v.4, n.4, 1999. (18. Painel de Biblioteconomia em Santa Catarina) URL: http://www.ced.ufsc.br/~ursula/papers/civil_net.html

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (páginas 52- 54)

ENGEL, Stefan; WOITZIK, Andreas. Die Diplomarbeit. Stuttgart : Schäffer-Poeschel, 1997.

HEIDE, Ann, STILBORNE, Linda. Guia do professor para a Internet: completo e fácil. Trad. Edson Furmankiewz. Porto Alegra : Artes Médicas Sul, 2000.
 

AULA 5  Normas da ABNT aplicáveis em projetos e relatórios de pesquisas - http://www.ced.ufsc.br/~ursula/5100/aula_projeto.html

Objetivos: conhecer e empregar as normas de documentação na pesquisa bibliográfica

NBR - 6023 Informação e documentação - Referências - Elaboração;
NB 88 - Resumos;
NB 85 - Sumário;
NB 69 - Numeração Progressiva das Seções de um Documento;
NB 896 - Apresentação de Citações em Documentos
NBR 6022 - Apresentação de Artigos em Publicações Periódica

Recursos didáticos:
Além de manusear as normas de documentação no Setor de Referência da Biblioteca Universitária da UFSC, será importante utilizar o site da Biblioteca Universitária sobre referências bibliográficas elaborado pelas autoras Maria Bernardete Martins Alves & Susana Margareth Arruda  (http://bu.ufsc.br/framerefer.html).

Consulte as bibliotecas setorias da Biblioteca Universitária (http://www.bu.ufsc.br) acesso direto ao Sistema Pergamum - http://aspro01.npd.ufsc.br/biblioteca/asp/opcoes.asp

Verifique na Biblioteca Setorial de Odontologia - http://www.bu.ufsc.br/ccso/bsccso1.html
as bases de dados sobre o tema da Pesquisa Bibliográfica.
 

Leitura complementar veja o Kit do Pesquisador do Professor Paulo Penteado.

http://www.ufba.br/~npgadm/eva/kitpesq.html

Exercício: análise de documentos técnico científicos observando os critérios da normalização

Após obter o material selecionado - fazer a referência bibliográfica e resumo. Utilize sempre as normas da ABNT.
 

Referências bibliográficas:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Normas sobre documentação. Rio de Janeiro, 1989.

ESTRELA, Carlos. Metodologia científica :  ensino e pesquisa em odontologia. São Paulo :  Artes Medicas,  2001. ISBN  8574040460  - Número de Chamada  BU/UFSC 616.314:37  E82m
 

AULA 6  A pesquisa bibliográfica

Objetivo: estabelecer as diretrizes na pesquisa bibliográfica  Pesquisa científica e iniciação científica, Ética (plágio), divulgação e vulgarização científica; Tipologia da pesquisa: pesquisa bibliográfica; levantamento documental; pesquisa teórica, aplicada e de campo; pesquisa de motivação e atitudes; Método e técnicas de pesquisa; Projeto de pesquisa (planejamento e escolha do tema); Fases do método de pesquisa
 

Exercício: Discussão das etapas da pesquisa bibliográfica

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (capítulo 11)

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 6 páginas 67- 88)

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULAS 7-8  A pesquisa bibliográfica - prática

Pesquisa científica: coleta de dados

Diário de campo; Questionário; Entrevista; Interpretação de dados

Estudo de caso; Relatório final

Exercício: Apresentação da equipes
 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (capítulo 11)

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 7 e 8 áginas  89-114)

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULAS 9-10  A pesquisa bibliográfica - prática

Pesquisa bibliográfica: Etapas da Pesquisa:; Escolha e delimitação do tema

Elaboração do projeto de pesquisa; Levantamento de dados: compilação do que foi publicado sobre o assunto; Análise dos dados levantados: fichamento, análise e interpretação; Relatório da Pesquisa

Exercício: Elaboração do trabalho de pesquisa
 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (capítulo 11)

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 6 páginas 67- 88)

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULAS 11-12  A pesquisa bibliográfica - prática

 Pesquisa bibliográfica

Técnicas de pesquisa bibliográfica (revisão) - cap. 3.

Fases da Pesquisa Bibliográfica (revisão) - cap. 4.

Elaboração dos trabalhos de graduação (revisão) - cap. 5.
 

Exercício: Discussão reportando-se as etapas da pesquisa
 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (capítulo 11)

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 3, 4, 5)

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULAS 13-14  A pesquisa bibliográfica - prática

Pesquisa bibliográfica

Elaboração do trabalho acadêmico (revisão) - cap. 6.

Apresentação dos trabalhos (revisão) - cap. 7.

Exercício: orientação no trabalho final
 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (capítulo 11)

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 6 - 7 )

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULAS 15-16  A pesquisa bibliográfica - prática

Pesquisa bibliográfica 7

Estrutura e elaboração

Exercício: apresentação oral dos trabalhos de pesquisa
 

Referências bibliográficas:

ANDRADE, Maria Margarida de. Introdução à metodologia do trabalho científico. São Paulo : Atlas, 1994. (cap. 13 )

BARROS, Aidil Jesus da Silveira; LEHFELD, Neide Aparecida de Souza. Fundamentos de metodologia científica: um guia para a iniciação científica. 2. ed. ampliada. São Paulo : MAKRON, 2000. (Capítulo 8)

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3.ed. São Paulo : Atlas, 1993.
 

AULA 17  PROVA

Entrega dos trabalhos escritos e Avaliação final

AULA 18  Recuperação final

 

 

Ursula Blattmann - ursula@ced.ufsc.br

Universidade Federal de Santa Catarina
Departamento de Ciência da Informação
Campus Universitário - Trindade
89000-000 Florianópolis Santa Catarina - Brasil -
Telefone 55 - 048 - 331 93 04 - 331 71 13 (Laboratório de Gestão Tecnologia e Informação)
http://www.ced.ufsc.br/~ursula/5100 - (PLANO DE ENSINO)
http://www.ced.ufsc.br/~ursula/5100/aula_pesq.html
http://www.ced.ufsc.br/~ursula/5100/aula_projeto.html
Última atualização realizada em 26 de marco de 2003.