USO DO SOFTWARE MICROISIS NAS ATIVIDADES DE ENSINO NO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Ursula Blattmann
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção de Sistemas UFSC. Mestre em Biblioteconomia. Professora Departamento de Biblioteconomia e Documentação da UFSC E-mail: ursula@ced.ufsc.br
 
Gleisy Regina Bóries Fachin
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção de Sistemas UFSC. Professora Departamento de Biblioteconomia e Documentação da UFSC E-mail: gleisy@ced.ufsc.br
 
Maria Margarete Sell da Mata
Mestre em História. Professora Departamento de Biblioteconomia e Documentação da UFSC
E-mail: fmata@fastlane.com.br
 
RESUMO

Relata atividades utilizando base de dados desenvolvida no software Microisis. Apresenta revisão e histórico contextual do Microisis em ambiente acadêmico de biblioteconomia. Detalha a aplicação da base de dados do Colégio Menino Jesus - CMJ em biblioteca escolar de Florianópolis. As conclusões salientam a importância de integrar a tecnologia da informação no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Microisis. Software – uso educacional. Tecnologia da informação.

INTRODUÇÃO

    O uso intensificado da tecnologia da informação em ambientes organizacionais, principalmente voltados a organização e gerenciamento da informação eletrônica e digital é destaque na década de 90.
    Com a instauração de uma política de informática no Brasil (Moreira, 1995) a abertura de mercado facilitou a aquisição tanto de hardware como de software. Surgindo inúmeras atrações irresistíveis para os administradores de sistemas de informação e bibliotecas. A questão passa a ser gritante no sentido de adaptação e tempo disponível. A adaptação refere-se aos custos, qualidade, desempenho e treinamento de pessoal principalmente decorrente da evolução contínua do hardware e também devido ao montante de softwares existentes.
    Inúmeras ponderações ocorrem sobre qual software a ser utilizado em sala de aula. Se o respectivo software é compatível nestas máquinas incrementadas de upgrade.
    Às vezes, a escolha do software fica muito difícil, devido os custos do produto, processos operacionais e de treinamento.
    Podemos reconhecer inúmeras iniciativas de estruturações de bases na área de informação e, o que mais nos perturba, é a ausência de pesquisas sobre determinados softwares. Um destes exemplos é o Micro CDS/ISIS, popularmente conhecido como Microisis da UNESCO.
    Entre 1988 e 1994, houve a proliferação de artigos relatando usos e revisões de literatura. Destacam-se, entre outros, o artigo de Ohira (1992) uma revisão de literatura aprofundada sobre o software Microisis em automação de bibliotecas; o primeiro Encontro de Usuários do Microisis da Região Sul, realizado em Florianópolis em outubro de 1993 (Painel, 1993); e, o cadastro impresso sobre Quem Informa em Santa Catarina, guia das bibliotecas universitárias e especializadas da região da Grande Florianópolis (Universidade do Estado de Santa Catarina, 1993).
    Concomitante surgiram bases de dados desenvolvidas e comercializadas pela Associação Catarinense de Bibliotecários, tais como a SRB – Serviço de Referência Bibliográfica, desenvolvida entre 1989 e 1990. A base e o respectivo manual estão fundamentados no Formato IBICT. A BIBLIOINFO, base de dados, somente para consulta, arrola informações sobre a automação em bibliotecas, a cobertura abrange 1986-1994. A base de dados QUEM, cadastro sobre os bibliotecários que atuam em Santa Catarina (1994). A Base BIDAC Produção Intelectual dos Profissionais da Informação em Santa Catarina cobertura de 1976 a 1996. Além do software ser disseminado em cursos e palestras em ambiente acadêmico e na educação continuada de profissionais da informação.
    O motivo pelo qual escrevemos este artigo, é relatar a experiência de usar o Microisis em sala de aula na disciplina Biblioteconomia Aplicada II realizada no Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) entre 1996 e 1998, como forma de disseminar o uso, viabilidade e adequação em função da nossa realidade sócio-econômica brasileira.
    Outros pontos relevantes são: a) o Laboratório de Tratamento da Informação do Departamento de Biblioteconomia e Documentação - BDC - da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC - possui instalado o software Microisis;
b) a equipe conhece o Microisis.
c) os alunos observam que existe demanda do mercado profissional com perfil de dominar este recurso da informática.

RESGATE HISTÓRICO E BIBLIOGRÁFICO

    Atualmente comenta-se muito sobre a qualidade dos serviços de informação. No entanto, é necessário definir os níveis de qualidade no centro de informação de uma instituição para atingir a eficácia e eficiência esperada. Segundo Pacheco & Cardoso (1992, p. 179) "consertar erros, fazer outra vez, atender reclamações dos clientes, tudo isso custa, e muito. A qualidade tem, portanto, uma função básica de redução de desperdícios e perdas, de eliminação dos retrabalhos, de diminuição dos custos de ineficiência."
    Cunha (1994) menciona que é preciso "manter uma postura crítica em relação a cada tecnologia de informação, não achar que ela é a "resposta" para todos os nossos problemas. É importante que continuemos a avaliar as novas e antigas tecnologias, à luz da nossa missão primordial que é a de ajudar nosso cliente a encontrar a informação que precisa, na hora certa e no formato adequado."
    Os processos de armazenagem precisam ser planejados, levando em consideração os seguintes aspectos: as políticas de indexação, classificação, catalogação e circulação dos documentos adotados pela biblioteca; as possibilidades relacionadas aos equipamentos, móveis disponíveis e ao local onde a biblioteca se encontra instalada; condições de conservação existentes (Guinchat & Menou, 1994, p.93).
    A escolha do software Microisis, além de suas qualidades técnicas e operacionais, deve-se ao fato de ser o mais utilizado (43,40%) em bibliotecas especializadas da Grande Florianópolis (Krüger et al, 1994, p.35).
    O uso do Microisis em salas de aula no Curso de Biblioteconomia da UFSC teve suas diferentes fases. Em 1993, foi oferecido como disciplina optativa Gerenciador de Bases de Dados Micro CDS/ISIS, com duração de 72 horas/aula. Na época usava-se a versão 2_3 e no final daquele semestre, existia a versão 3.0 para ambiente de rede. A mesma disciplina foi oferecida no 1. Semestre de 1994 e 1995, ministrada pela professora Ursula. O enfoque consistia na introdução histórica, reconhecimento das versões, conhecimento das experiências brasileiras no uso do Microisis, planejamento e desenvolvimento de uma base bibliográfica e geração de diferentes tipos de relatórios. Entre um dos produtos oriundos desta disciplina foi o Cartão de referência Micro CDS/ISIS 2.3, que consiste em apresentar os principais atalhos referentes ao manual do Microisis.
    No 2. Semestre de 1994, este software foi utilizado na disciplina Biblioteconomia Aplicada I para gerar um cadastro do Quem é Quem na Biblioteconomia de Santa Catarina. Com a especial colaboração da bibliotecária Dirce Maris Nunes da Silva na elaboração da base cadastral, as planilhas de entrada de dados e formatos de saída.
    Somente em julho de 1995, foi criado o Laboratório de Informática - LABINFOR, onde criou-se uma infra-estrutura e horários para atender a demanda de algumas disciplinas do Curso de Biblioteconomia que exigiam atendimento no uso dos recursos da informática. O Laboratório possuia somente 7 microcomputadores disponíveis para o Curso e o Departamento de Biblioteconomia, atualmente constam 13 equipamentos em versões atuais, possibilitando, inclusive, apresentações de aulas via televisão 29 polegadas.
    Uma das primeiras atividades, bastante simples e fácil, foi a instalação do Microisis nos equipamentos e o passo seguinte foi a demonstração dos recursos disponíveis para os alunos nas mudanças ocorridas através da melhoria das versões.
    Oferecia-se uma aula introdutória com o objetivo de dinamizar e desmistificar o máximo possível o uso do Microisis em bibliotecas da Grande Florianópolis.
    A partir de então, viabilizaram-se esforços para a reserva de horários no LABINFOR, durante o ano de 1996, para o ensino e principalmente como ambiente da prática educacional, com o preenchimento das bases de dados da disciplina Biblioteconomia Aplicada II.
    No segundo semestre de 1996, a professora Neide Caciatori Brighenti, ministrante da disciplina Biblioteconomia Aplicada I, utilizou a base de dados CCPJ – Catálogo Coletivo de Periódicos das Bibliotecas da área jurídica de Florianópolis, desenvolvida pela bibliotecária Maria Aparecida Sell.
    Na mesma época a professora Margarete realizou uma parceria com o Colégio Menino Jesus (CMJ), localizado no centro de Florianópolis, para integralização de atividades da disciplina Biblioteconomia Aplicada II do Curso de Biblioteconomia da UFSC.
    A Biblioteca do CMJ começou a ter seu acervo bibliográfico organizado de acordo com as normas da biblioteconomia através deste trabalho em parceria entre o Colégio, o e os alunos regularmente matriculados na disciplina, coordenada professora Maria Margarete. Tendo o suporte técnico referente a adaptação da base de dados CMJ fundamentada na Base SRB (disponível para venda pela Associação Catarinense de Bibliotecários), usando o Microisis pela professora Ursula, no período de 1996 a 1997. E, a partir de 1998 passando a integrar a equipe, também como coordenadora da disciplina, a professora Gleisy, levando-se em consideração o aumento de vagas oferecidas na disciplina a partir deste semestre.
 

METODOLOGIA

    As atividades desenvolvidas durante os semestres tinham por finalidade contemplar o objetivo geral da disciplina que consiste em processar tecnicamente o acervo de uma biblioteca. Tendo como objetivos específicos:     Considerando as vantagens do software Microisis para desenvolvimento de bases bibliográficas, como é o caso da Base CMJ (Colégio Menino Jesus), foi utilizado o Formato IBICT para a padronização de formatos de intercâmbio, pois permitem que um documento seja descrito de uma forma universalmente aceita.

Procedimentos

    Para realização dos objetivos da disciplina e da contextualização da instituição foram executados os seguintes procedimentos:

CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS

    Observando os objetivos propostos na disciplina Biblioteconomia Aplicada II, podemos salientar que disciplinas desta natureza são importantes na formação acadêmica, pois tratam de um caráter eminentemente prático e integralizando parte do conteúdo da matéria Controle Bibliográfico dos Registros do Conhecimento.
    Nas atividades desenvolvidas até a presente data, estão assim quantificados: segundo semestre de 1996 com 275 títulos processados tecnicamente; primeiro semestre de 1997 com 270 títulos; segundo semestre de 1997 com 315 títulos e, o primeiro semestre de 1998 está em andamento (paralisação devido greve), não tendo-se uma previsão de quantas obras serão processadas tecnicamente.
    Considerando que a média são 20 alunos por semestre envolvidos nas atividades, hoje o Colégio Menino Jesus já consta com um acervo 860 títulos disponíveis na base, possibilitando ao seu usuário a consulta e recuperação de obras online.
    Nota-se por parte da instituição que tais atividades foram muito bem recebidas, provocando o resgate da imagem da eficiência e do dinamismo do profissional da informação. Criou-se uma necessidade constante da prestação de serviços biblioteconômicos que necessitam a presença do bibliotecário.
    Ponderamos que atividades desta natureza provocam rupturas positivas no ensino tradicional, trazendo novas perspectivas aos acadêmicos referente a sua profissão e na mudança de hábitos ao acesso e disponibilização da informação através de ferramentas da tecnologia da informação. Contribuindo principalmente para desmistificação o uso da informática na biblioteconomia .
 

ABSTRACT

Descript activities by using the Microisis database software. Introduce a historical context review from Microisis in the academic library science environment. Detail the database CMJ aplication at school library in Florianópolis. Conclusions shows the importance to integrat information tecnology in the learning process.

Keywords: Informational tecnology. Microisis. Software – educational uses.

FONTES DE REFERÊNCIA

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE BIBLIOTECÁRIOS. Comissão de Usuários do Microisis. Base de dados SRB –     Serviço de Referência Bibliográfica. Manual de referência Microisis 2.3. Florianópolis : ACB, 1990. 25p. + Disquete

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE BIBLIOTECÁRIOS. Comissão de Usuários do Microisis. Base de dados sobre automação em bibliotecas (informática documentária): 1986 - 1994 Biblioinfo. Florianópolis : ACB, 1994. 21p. + Disquete

BLATTMANN, Ursula. A influência das novas tecnologias no ensino de biblioteconomia. In: I ENCONTRO REGIONAL DE ESTUDANTES DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO: o ensino de Biblioteconomia na região Sul. Florianópolis, 02-05, nov. 1995. (Palestra)

BLATTMANN, Ursula (Coord.) Cartão de referência: micro CDS/ISIS, versão 2.3. Florianópolis: ACB, [1994]. 8 p. (Elaborado por Araci I. Andrade, Claudia Luciane Alves da Silva, Fabrícia Fortes, Hulda de Oliveira, Vanusa Márcia Rocha e Ana Tristão).

CÓDIGO de catalogação anglo-americano. São Paulo : FEBAB, 1983-1985. 2 v.

CUNHA, Murilo Bastos. As tecnologias de informação e a integração das bibliotecas brasileiras. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 8. Anais... Campinas, nov. 1994. Campinas : UNICAMP, 1994. p. 105-122

GUINCHAT, Claire, MENOU, Michael. Introdução geral às ciências e técnicas da informação e documentação. 2. ed. Corrigida e aumentada por Marie-France Blanquet. Trad. Míriam Vieira da Cunha. Brasília : IBICT, 1994.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO CIENTIFICA E TECNOLÓGICA. Formato IBICT: formato de intercâmbio bibliográfico e catalográfico. Brasília : IBICT, 1987. 349 p.

KRUGER, Maria Helena et al. Situação das bibliotecas da região da grande Florianópolis frente à tecnologia da informação: bibliotecas universitárias e bibliotecas especializadas. In: SEMINÁRIO SOBRE AUTOMAÇÃO EM BIBLIOTECAS E CENTROS DE DOCUMENTAÇÃO, 5. Anais... São José dos Campos, 22 jul. 1994. São José dos Campos : Universidade do Vale do Paraíba, 1994. p. 29-41

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Trad. Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro : Ed. 34, 1993. 203 p.

MATA, Mª Margarete Sell da. Fluxograma das atividades na disciplina BDC5111 Biblioteconomia Aplicada II, da 8ª fase do Curso de Biblioteconomia. Florianópolis, 1988. 14 p.

MEIRELLES, Fernando de Souza. Informática: novas aplicações com Microcomputadores. 2 ed. atual. e ampl. São Paulo: Makron Books, 1994. 615p.

MIKI, H. Micro-isis: uma ferramenta para o gerenciamento de bases de dados bibliográficos. Ci. Inf., Brasília, v.18, n.1, p. 3-14, jan./jun. 1989.

MIRANDA, Angélica Conceição Dias. A importância da automação no ensino de biblioteconomia. BIBLOS, Rio Grande, v. 6, p. 213-217, 1994.

MOREIRA, José de Albuquerque. Informática: o mito Política Nacional de Informática. R. Bibliotecon. Brasília, v. 19, n. 1, p. 23-50, jan./jun. 1995.

OHIRA, Maria Lourdes Blatt. Automação de bibliotecas: utilização do Microisis. Ciência da Informação, Brasília, v. 21, n. 3, p. 233-37, set./dez. 1992.

PACHECO, Márcia, CARDOSO, Mariza. Estruturação de um Banco de Dados em qualidade: a experiência do SENAC - SP. In: CONGRESSO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 2., ENCONTRO NACIONAL DE INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO JURÍDICA, 4. Anais... São Paulo, 22-25 set. 1992. São Paulo: APB, 1994. p. 179-184

PAINEL Biblioteconomia em Santa Catarina. Anais do XI Painel de Biblioteconomia em Santa Catarina e I Encontro de Usuários do Micro-ISIS da Região Sul. Florianópolis, UFSC/CED, 1993.

PASQUARELLI, Mª Luiza Rigo, IMPERATRIZ, Inês Maria de Morais, ROSETTO, Márcia. Adequação do software dos bancos de dados bibliográficos da USP ao formato de intercâmbio bibliográfico IBICT. Ciência da Informação, v. 20, n. 2, p. 233-237, jul./dez. 1991.

ROWLEY, Jennifer. Informática para bibliotecas. Trad. Antônio Agenor Briquet de Lemos. Brasília : Briquet de Lemos/ Livros, 1994. 307 p.

SAYÃO, Luiz Fernando et al. Avaliação dos processos de automação em bibliotecas universitárias. Trans-in-formação, v.1, n.2, p.233-254, maio/ago. 1989.

SOUZA, Clarice M., SILVA, Alcides Santos da, RODRIGUES, Constância R., SILVA, Wânia G. de. A informática no Currículo de Biblioteconomia. In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 2., CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA E DOCUMENTAÇÃO, 17., Anais... Belo Horizonte 10-15 abril 1994. Belo Horizonte: Associação dos Bibliotecários de Minas Gerais, 1994. p. 478-493.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Departamento de Biblioteconomia. Quem informa em Santa Catarina: guia das bibliotecas universitárias e especializadas da Região da Grande Florianópolis. Florianópolis : Universidade do Estado de Santa Catarina, 1993.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. BIDAC: Biblioteconomia, Informática Documentária, Documentação, Arquivo, Ciência da Informação. Produção intelectual dos profissionais de Santa Catarina. 1976-96. Florianópolis : Imprensa Universitária da UFSC, 1996. 1 disquete
 

  APÊNDICES

A planilha eletrônica usada para se realizar e entrada de dados da Base CMJ foi planejada de acordo com as normas do Formato IBICT e foram utilizados os seguintes campos:
Etiqueta 
Nome do campo
Tipo do documento
10 
Centro cooperante
20 
ISBN
35 
Classificação
41 
Idioma
54 
Localização do documento
245 
Título
247 
Titulo equivalente
250 
Edição
260 
Área da publicação (imprenta)
261 
Data de publicação
300 
Colação do todo
400 
Série (nome pessoal)
440 
Série (coleção)
500 
Notas documento
505 
Resumo
600
Assunto (personagens)
610 
Assunto (nome entidade)
651
Assunto (geográfico)
700 
Entrada secundária (nome pessoal)
710 
Entrada secundária (entidade)
 

 

* BASE DE DADOS DA BIBLIOTECA DO COLÉGIO MENINO JESUS * FOLHA 1/3 *

TIPO DOCUMENTO ___ IDIOMA ___ ISBN ________________
NUM. CHAMADA ^a_____________________________________________________________
NUM. REGISTRO _______________________________________________________________
AUTOR PESSOAL _______________________________________________________________
AUTOR ENTIDADE _____________________________________________________________
______________________________________________________________________________
CONGRESSO ___________________________________________________________________
TITULO UNIFORME _____________________________________________________________
______________________________________________________________________________
TITULO DA OBRA ______________________________________________________________
TITULO EQUIVALENTE __________________________________________________________
EDICAO _________________________ IMPRENTA ____________________________________
DATA PUBLICAÇÃO _____________________________________________________________

¦ _+ - Próx. pág. ¦ B - Pág. anterior ¦ M - Modifica ¦ N - Novo registro ¦
¦ X - Saída ¦ D - Apaga ¦ C - Cancela ¦ T - Fim da revisão ¦ _
Mais ... MFN= 1
 
* BASE DE DADOS DA BIBLIOTECA DO COLÉGIO MENINO JESUS * FOLHA 2/3 *

COLAÇÃO DO TODO_________ ____________________________________________________
COLAÇÃO DA PARTE _____________________________________________________________
SERIE ___________________________________________________________________________
NOTAS DOCUMENTO_____________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
NOTA INSTITUIÇÃO ______________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
NOTAS DE TESE/DISSERTAÇÃO ___________________________________________________
NOTAS DE CONTEÚDO ___________________________________________________________
NOTAS DE RESUMO ______________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
AUTOR-TITULO DA PARTE ________________________________________________________
_________________________________________________________________________________
ENTRADA SECUND.(NOME PESSOAL) _________________________________________________________________________________
ENTRADA SECUND.(NOME ENTIDADE) _________________________________________________________________________________
ENTRADA SECUND.(CONGRESSO) _________________________________________________________________________________
ENTRADA SECUND.(TIT. UNIFORME) ______________________________________________

¦ _+ - Próx. pág. ¦ B - Pág. anterior ¦ M - Modifica ¦ N - Novo registro ¦
¦ X - Saída ¦ D - Apaga ¦ C - Cancela ¦ T - Fim da revisão ¦ _
Mais ... MFN= 1
 
* BASE DE DADOS DA BIBLIOTECA DO COLÉGIO MENINO JESUS * FOLHA 3/3 *

ASSUNTO ______________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
ASSUNTO (NOME GEOGRÁFICO) ____________________________________________________
________________________________________________________________________________
ASSUNTO (NOME PESSOAL) ________________________________________________________
________________________________________________________________________________
ASSUNTO (NOME ENTIDADE) _______________________________________________________
_______________________________________________________________________________
ASSUNTO (NOME CONGRESSO) _____________________________________________________
________________________________________________________________________________
ASSUNTO (TÍTULO UNIFORME) ______________________________________________________
________________________________________________________________________________

¦ _+ - Próx. pág. ¦ B - Pág. anterior ¦ M - Modifica ¦ N - Novo registro ¦
¦ X - Saída ¦ D - Apaga ¦ C - Cancela ¦ T - Fim da revisão ¦ _
última página MFN= 1

© Artigo apresentado na XIV Jornada Sul-Rio-Grandense de Biblioteconomia e Documentação e II Encontro de Microisis da Região Sul, realizado em Porto Alegre (Brasil) entre 26 a 28 de agosto de 1998. Os direitos autorais deste artigo foram adquiridos conforme número de registro 160.673, livro 266 folha 305, na Biblioteca Nacional - Escritório de Direitos Autorais, em 30 de setembro de 1998.

Este documento foi disponibilizado originalmente na WWW em 14/10/98, sob endereço:
http://www.ced.ufsc.br/~ursula/papers/isisufsc.html
Última atualização realizada em 27/10/98
Copyright © 1998 Ursula Blattmann, Gleisy Regina Bóries Fachin e Maria Margarete Sell da Mata.